CSUL | Compromissos de sustentabilidade

Constituída como uma empresa desenvolvedora de soluções urbanísticas para o Vetor Sul da Região Metropolitana de Belo Horizonte, a CSul Desenvolvimento Urbano tem forte compromisso com a sustentabilidade econômica, social e ambiental no seu território de atuação.

Por isso, o Projeto CSul, que pretende implantar na região da Lagoa dos Ingleses uma nova centralidade, foi concebido em sintonia com os mais modernos conceitos do Novo Urbanismo, cuja principal finalidade é resgatar a qualidade de vida e melhorar o relacionamento entre o homem e a cidade, por meio de um modelo de desenvolvimento que prioriza os interesses coletivos em detrimento dos individuais.

Isso significa estimular a sociabilidade, principalmente, pela promoção de espaços públicos de qualidade distribuídos no território.

LEED for Neighborhood Development

Além das melhores práticas de sustentabilidade, a concepção do Projeto CSul considera importantes referenciais de sustentabilidade urbana, como o LEED for Neighborhood Development, do United States Green Building, e a certificação HQE/AQUA, da Fundação Vanzolini. Em torno desses balizadores, foram determinados os compromissos do Projeto CSul com a sustentabilidade, nas diferentes dimensões de abordagem do território onde será implantado.

O que é LEED?

LEED for Neighborhood Development (LEED para Desenvolvimento de Bairros): integra princípios de crescimento planejado e inteligente, urbanismo sustentável e edificações verdes, por meio de diferentes tipologias de edificações e mistura de usos dos espaços urbanos. Incentiva também a utilização de transporte público, eficiente e alternativo e criação de áreas de lazer, tais como parques e espaços públicos de alta qualidade. Esta tipologia engloba ruas, casas, escritórios, shoppings, mercados e áreas públicas.

Confira, abaixo, alguns dos compromissos sustentáveis do Projeto CSul:

OCUPAÇÃO E DESENHO URBANO

A promoção da conectividade urbana é a principal estratégia utilizada no que se refere ao modelo de ocupação territorial e ao desenho urbano do parcelamento. Independente dos empreendimentos a serem instalados no âmbito do Projeto CSul, a mobilidade dos pedestres, de forma segura e confortável, será prioridade, assim como o uso da bicicleta como meio de locomoção, por meio do estímulo a uma convivência harmoniosa com os automóveis.

Para isso, diversas iniciativas foram incorporadas ao Projeto CSul, como a utilização dos platôs do projeto para promoção de passagens de pedestres e espaços de convivência; ou ainda a implantação de viveiros, hortas e parques urbanos ao longo dos terrenos que abrigam faixas de servidão.

As calçadas serão projetadas de modo a favorecer a circulação de pedestres.

Além disso, nas centralidades do Masterplan, os espaços terão uso misto e serão planejados com um mix variado de serviços – áreas de alimentação, comércio, serviços e áreas institucionais –, evitando a necessidade de usar automóveis para necessidades do dia a dia.

Em todas as áreas do projeto, será instalado um mobiliário urbano focado na promoção da qualidade ambiental – como bicicletários, lixeiras adaptadas à coleta seletiva, abrigos de ônibus “humanizados”, entre outros recursos.

QUALIDADE AMBIENTAL

Para assegurar a qualidade ambiental do território que receberá o Projeto CSul, o Masterplan contemplou diferentes soluções urbanísticas, que vão da ocupação territorial heterogênea, que respeita as especificidades físicas do terreno (topografia, geologia, vegetação e rede hidrográfica), e passam pela conservação e proposição de áreas verdes de grandes extensões, incluindo a criação de uma RPPN.

Também está prevista a criação de espaços de lazer flexíveis e multiúso, que permitam a prática esportiva, a realização de eventos culturais e atividades de lazer ao ar livre. Para destacar essa qualidade ambiental proposta para a região, já está planejada, inclusive, a criação do Prêmio CSul de Qualidade Urbana, que vai reconhecer e valorizar as melhores iniciativas nesse sentido.

O Projeto CSul também toma como uma de suas principais premissas a implantação de espaços urbanos realmente “vivos”, isto é, que possam ser frequentados e utilizados em sua totalidade, tanto durante o dia quanto à noite. Para isso, haverá uma especial preocupação e estímulo à implantação de fachadas ativas – evitando os muros extensos ou áreas completamente fechadas para a rua.

O conceito de arquitetura bioclimática também será estimulado pela CSul, de maneira a permitir o melhor aproveitamento dos recursos naturais. Para isso, os empreendedores vão investir na produção de um caderno técnico, contendo diretrizes para estimular o conforto ambiental e edificações de alta eficiência energética.

O barulho e a poluição sonora, que estão entre os piores “vizinhos” nas grandes áreas urbanas, não serão bem-vindos ao Projeto CSul. A redução de impactos na vizinhança ao longo das obras também será considerada. A proposta é criar um plano para diminuir os incômodos gerados por poeira, ruídos e a circulação de máquinas e de veículos em todo o empreendimento.

Outra grande preocupação em relação à qualidade ambiental é a gestão dos recursos hídricos disponíveis na região. O compromisso da CSul é estimular, em todo o projeto, edificações equipadas para fazer o reúso e reaproveitamento de água. Também está prevista a implantação de bacias de retenção, para captação de água da chuva.

ECOSSISTEMA E BIODIVERSIDADE

A região da Lagoa dos Ingleses é uma das mais belas e ricas em biodiversidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte e o compromisso do Projeto CSul é de que ela continue assim. As áreas verdes serão muito valorizadas, por meio da criação de espaços de conectividade ecológica e da paisagem, que visam preservar a biodiversidade local, estimular o turismo e a pesquisa científica, democratizando o acesso ao patrimônio natural e ambiental dessa região.

O paisagismo do Projeto, por exemplo, priorizará espécies nativas da região, evitando ao máximo o uso de espécies consideradas invasoras. No caso da implantação do sistema viário do Projeto CSul, o topsoil (camada superior do solo que tem a mais alta concentração de matéria orgânica e microorganismos) existente nos terrenos será aproveitado após a movimentação de terra nas obras. No período de obras, medidas para prevenir erosão de taludes e perda de sedimentos serão providenciadas, inclusive com a implantação de sistemas de drenagem pluvial provisória.

A implantação de parques urbanos é outro compromisso sustentável do Projeto. A previsão é de implantação de “parques lineares” ao longo de faixas de servidão, cursos d’água e rodovias. Outro compromisso importante do ponto de vista ambiental é a proposição de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural na Serra da Moeda, cuja área será superior ao Parque das Mangabeiras, por exemplo. Outras áreas também serão destinadas para abrigar um viveiro de plantas nativas, com foco na preservação do bioma local e especial atenção às espécies em risco de extinção.

Além de dar o exemplo, os empreendedores do Projeto CSul vão estimular a mudança de atitude na população, por meio de ações de educação ambiental, que estimulem, por exemplo, a adoção de práticas sustentáveis de destinação de resíduos, a reciclagem de materiais e o uso de materiais ambientalmente adequados na construção das edificações.

MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE

No que se refere à mobilidade, um dos compromissos do Projeto CSul será estimular o uso da bicicleta ou mesmo das caminhadas pelo bairro, de maneira a garantir melhoria na qualidade de vida, além de desafogar o trânsito nas vias e permitir a redução das emissões de gases de efeito estufa. Além disso, no caso dos automóveis, será estimulado o uso de veículos elétricos – que certamente serão cada vez mais comuns num futuro próximo –, inclusive com a implantação de vagas de estacionamento equipadas com sistemas de recarga das baterias.

Nas grandes vias de circulação, a bicicleta terá prioridade, em detrimento dos automóveis particulares, por meio da implantação de ciclovias conectadas e realmente seguras em toda a área do Projeto. A ideia é que todas as vias de maior fluxo e com topografia adequada sejam cicláveis.

Antes mesmo do início de implantação do Projeto, o sistema Bike CSul já está em operação, facilitando a vida de quem quer circular pela região da Lagoa dos Ingleses pedalando uma bicicleta. Para utilizar o serviço, o usuário deve se cadastrar e pagar uma taxa semestral de R$ 15,00, que dá direito a utilizar as bicicletas do sistema durante uma hora por dia.

Em relação à acessibilidade, nas calçadas de uso comercial, serão criadas baias de estacionamento com ampliação das esquinas, que serão providas de travessias seguras e confortáveis aos pedestres, preferencialmente em nível. Serão previstas também áreas de “buffer” para proteger pedestres e ciclistas em vias de contato direto com veículos.

cnuvem

2014 www.csullagoadosingleses.com.br. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Avenida Princesa Diana, 55
Lagoa dos Ingleses - Nova Lima/MG